Nenhum comentário

500 anos da Reforma Protestante

31 de outubro de 1517, o frade agostiniano Martinho Lutero prega na porta da Igreja do Castelo de Wittemberg um pergaminho com as 95 teses que ele formulara com a pretensão de ver a Igreja Cristã voltar ao exercício da teologia e ética baseadas na Palavra de Deus somente. As vendas das “indulgências” havia sido a gota d’agua em sua paciência; a negociação de um documento papal que anistiava pecados e anulava de forma definitiva o sacrifício vicário de Jesus na Cruz do Calvário. Uma reforma era indispensável em uma Igreja apóstata.

As teses defendiam princípios que norteiam a Igreja Evangélica até hoje; são conhecidas como PILARES DA REFORMA.

  1. SOLA SCRIPTURA (Só as Escrituras)

“Toda Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a educação na justiça.” 2 Tm.3.16

  1. SOLUS CHISTUS (Só Cristo)

“E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos.” At.4.12

  1. SOLA GRATIA (Só a Graça)

“E estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo, pela graça sois salvos.” Ef.2.5

  1. SOLA FIDE (Só a Fé)

“Concluímos, pois, que o homem é justificado pela fé, independentemente das obras da lei.” Rom.3.28

  1. SOLI DEO GLORIA (Só a Glória de Deus)

“Portanto, quer comais quer bebais ou façais quaisquer outras coisas, fazei tudo para a glória de Deus.” 1 Cor.10.31

Passados 500 anos, somos convidados a revisitar esses princípios e renovar nossos votos de fidelidade ao ensino das Escrituras Sagradas, e a declaração de que a salvação só é obtida pela graça de Deus, mediante a fé em Jesus, O Cristo.

Rev. Sergio Victalino

Postar um comentário