Nenhum comentário

Orando as Escrituras – Salmo 12 (NVI – Nova Versão Internacional)

Salva-nos, Senhor! Já não há quem seja fiel; já não se confia em ninguém entre os homens.
Cada um mente ao seu próximo; seus lábios bajuladores falam com segundas intenções.
Que o Senhor corte todos os lábios bajuladores e toda língua arrogante
dos que dizem: “Venceremos graças à nossa língua; somos donos dos nossos lábios! Quem é senhor sobre nós? ”
“Por causa da opressão do necessitado e do gemido do pobre, agora me levantarei”, diz o Senhor. “Eu lhes darei a segurança que tanto anseiam. ”
As palavras do Senhor são puras, são como prata purificada num forno, sete vezes refinada.
Senhor, tu nos guardarás seguros, e dessa gente nos protegerás para sempre.
Os ímpios andam altivos por toda parte, quando a corrupção é exaltada entre os homens.

1º Passo: Vamos orar? Começar uma nova etapa de um novo dia da semana de trabalho sem antes de sair para a luta ter tempo com Deus é uma tolice muito maior do que sair à rua totalmente desnudo! Sim, porque lá fora a luta é grande para ser fiel, e só o revestimento interior da graça de Jesus nos capacita à vitória . Portanto, depois de agradecer juntos ao Deus que nos criou, remiu, sustenta e direciona a nossa vida, consagremos a Deus o nosso dia e nos revistamos da sua Palavra. Que este momento de leitura e oração seja para Conhecer mais de Deus pelas Escrituras, Confiar mais em Deus e Conviver mais profundamente com Ele. Que Deus ilumine a sua leitura das Sagradas Escrituras.

2º Passo: Leia pausadamente todo o Salmo 12. Este Salmo questiona a aparência da religiosidade dos que supostamente vivem para Deus (“Já não há quem seja fiel”, no sentido de ser fidedigno) e também, como consequência, a sinceridade dos relacionamentos pessoais desenvolvidos por eles (“cada um mente ao seu próximo”). A confiança do salmista é que no Senhor, diferentemente dos homens, podemos confiar (“As palavras do Senhor são puras…tu nos guardarás seguro e dessa gente nos protegerás para sempre”) e Ele mesmo “cortará toda língua arrogante”. Portanto, este Salmo trata de Deus como fiel depositário da nossa confiança, aquele que desfará a desfaçatez dos homens que usam da língua malignamente.

3º Passo: Vamos orar novamente? Ao mesmo tempo que você relembra o que o Salmo 12 diz, deixe Deus, pelo seu Espírito, guiar essa conversa, que é a oração, pedindo que o Salmo que você leu seja como um espelho que reflita a perspectiva de Deus, em termos do que o Salmo trata como tema: a fidelidade de Deus versus a infidelidade dos homens.

4º Passo: Leia pausadamente todo o Salmo 12 novamente. O que mais lhe chamou a atenção? Se você tivesse que resumir este Salmo, para você qual seria uma expressão que diria tudo? Você consegue se ver neste Salmo? Alguma circunstância em particular que você passou/tem passado? Pare um pouco e pense. Sublinhe, anote ou marque de alguma forma aquilo que se fixou em sua mente. Lembre que o objetivo dessa releitura é tríplice: ser capaz de tirar uma lição ou verdade central sobre este Salmo 12 em uma frase. Segundo, entender como este Salmo 12 descreve Cristo, naquilo que fortalece a nossa confiança na pessoa e obra de Cristo em seu favor. E finalmente, como este Salmo 12 corrige as tendências carnais da sua natureza pecaminosa e incentiva disciplinas espirituais para seu crescimento espiritual.

5º Passo: Vamos orar este Salmo? Coloque-se como a própria pessoa deste Salmo 12 e quem sabe, reescreva mais ou menos como segue: “Meu Deus, é difícil achar alguém em quem confiar nos dias de hoje. Palavras vazias e cheias de segundas intenções e motivações escusas é o que mais se vê hoje. Até mesmo em mim, nem sempre consigo perceber que estou sendo realmente sincero diante de ti e dos homens. Mas, de uma coisa eu sei: eu quero ser fiel a ti, como tu és a ti mesmo e consequentemente, a mim, como teu filho e servo. Salva-me de cair no lugar comum da falsidade. Que seja a minha língua pura diante de Deus. Purifica-me as palavras para que sejam puras como as tuas. Em nome de Jesus. Amém”.

Postar um comentário