Nenhum comentário

Orando as Escrituras – Salmo 31 (NVI – Nova Versão Internacional)

Em ti, Senhor, me refugio; nunca permitas que eu seja humilhado; livra-me pela tua justiça.
Inclina os teus ouvidos para mim, vem livrar-me depressa! Sê minha rocha de refúgio, uma fortaleza poderosa para me salvar.
Sim, tu és a minha rocha e a minha fortaleza; por amor do teu nome, conduze-me e guia-me.
Tira-me da armadilha que me prepararam, pois tu és o meu refúgio.
Nas tuas mãos entrego o meu espírito; resgata-me, Senhor, Deus da verdade.
Odeio aqueles que se apegam a ídolos inúteis; eu, porém, confio no Senhor.
Exultarei com grande alegria por teu amor, pois viste a minha aflição e conheceste a angústia da minha alma.
Não me entregaste nas mãos dos meus inimigos; deste-me segurança e liberdade.
Misericórdia, Senhor! Estou em desespero! A tristeza me consome a vista, o vigor e o apetite.
Minha vida é consumida pela angústia, e os meus anos pelo gemido; falta-me a força devido à minha aflição, e os meus ossos se enfraquecem.
Por causa de todos os meus adversários, sou motivo de ultraje para os meus vizinhos e de medo para os meus amigos; os que me vêem na rua fogem de mim.
Sou esquecido por eles como se estivesse morto; tornei-me como um pote quebrado.
Ouço muitos cochicharem a meu respeito; o pavor me domina, pois conspiram contra mim, tramando tirar-me a vida.
Mas eu confio em ti, Senhor, e digo: “Tu és o meu Deus”.
O meu futuro está nas tuas mãos; livra-me dos meus inimigos e daqueles que me perseguem.
Faze o teu rosto resplandecer sobre o teu servo; salva-me por teu amor leal.
Não permitas que eu seja humilhado, Senhor, pois tenho clamado a ti; mas que os ímpios sejam humilhados e calados fiquem no Sheol.
Sejam emudecidos os seus lábios mentirosos, pois com arrogância e desprezo humilham os justos.
Como é grande a tua bondade, que reservaste para aqueles que te temem, e que, à vista dos homens, concedes àqueles que se refugiam em ti!
No abrigo da tua presença os escondes das intrigas dos homens; na tua habitação os proteges das línguas acusadoras.
Bendito seja o Senhor, pois mostrou o seu maravilhoso amor para comigo quando eu estava numa cidade cercada.
Alarmado, eu disse: “Fui excluído da tua presença! ” Contudo, ouviste as minhas súplicas quando clamei a ti por socorro.
Amem o Senhor, todos vocês, os seus santos! O Senhor preserva os fiéis, mas aos arrogantes dá o que merecem.
Sejam fortes e corajosos, todos vocês que esperam no Senhor!

1º Passo: Vamos orar? Estar na presença de Deus! Que privilégio começar uma nova etapa da vida, apresentando-se diante do Pai! E pensar que este Deus faz Aliança conosco e demonstra a sua bondade em começar cada dia conosco e nos abençoar generosamente! Ofereçamos a nossa gratidão ao Senhor. Ó Espírito Santo, ilumine nossa mente na leitura e oração do Salmo 31!

2º Passo: Leia pausadamente todo o Salmo 31. Este Salmo de Súplica retoma temas como proteção contra os inimigos e relembra momentos de angústias e provas, pelas quais o salmista passou. Mas, em meio a tudo, o saldo é uma confiança fortalecida em Deus, e a certeza do seu cuidado e intervenção na vida. Nada foge ao controle do Deus Todo-Poderoso. Esta preservação dos servos do Senhor é um dos sinais da Providência Divina, mesmo que em meio a angústia, perseguições, desprezo dos outros e vergonha. Assim, Deus é comparado a uma fortaleza forte, no qual se encontra refúgio. A exortação final do salmista é que amemos a Deus e sejamos fortes e corajosos confiantemente no Senhor.

3º Passo: Vamos orar novamente? Ao mesmo tempo que você relembra o que o Salmo 31 lhe faz sentir, direcione a meditação que envolve sua oração para este Deus da Aliança. Lembrar suas lutas e como você venceu e está vencendo com a graça de Deus é importante para que a súplica não se torne em murmuração. É preciso focar em Deus, o Todo Poderoso Mediador da Aliança. Converse com o Senhor e deixe que sua alma seja renovada pela graça de saber que, apesar das luta, Ele lhe ouve, porque Jesus e o Espírito Santo intercedem por você, como afirmam as Escrituras.

4º Passo: Leia pausadamente todo o Salmo 31 novamente. Observe a descrição das provações deste Salmo. Não é fácil lembrar de lutas, mas é preciso, porque, se não, como conseguimos valorizar a graça preservadora do Senhor?
Como uma oração, o Salmo 31 é expressão de devoção e de confiança. Agora, anote aí também os pedidos que Davi faz diante de Deus, como resposta à maneira que ele enfrentou/está enfrentando.

5º Passo: Vamos orar este Salmo 31? Eu oro assim: “Senhor, meu Deus e Pai, um dia me chamaste para ti com laços de amor em meio à luta e dor. Jamais me deixaste, mesmo quando por aqueles que não te amam tentaram me humilhar e tentaram me fazer te abandonar. São eles que se curvam diante de falsos deuses, enquanto eu me dedico apenas a ti, pois és meu refúgio e fortaleza, ò Rocha Inabalável. Tu és a minha força e a tua poderosa mão conduz e guia a minha vida. Não tenho outro além de ti, por isso minha esperança está em ti. Se meu coração é tomado pela angústia e dos meus lábios só é possível ouvir gemidos de aflição, ainda assim meus olhos estão postos no Senhor e no cuidado de tuas mãos poderosas, que me guiam e preservam. Tu és meu Deus, o único em cuja misericórdia confio, pois sou teu servo. Bendito és tu. Grande é a tua bondade e meu testemunho para quem te conhece é que te amem, sejam fortes e corajosos porque nada há maior do que teu amor leal para com os filhos da Aliança!”

Deus o abençoe e até quinta-feira com o Salmo 32.

Postar um comentário