Nenhum comentário

Orando as Escrituras – Salmo 58 (NVI – Nova Versão Internacional)

Será que vocês, poderosos, falam de fato com justiça? Será que vocês, homens, julgam retamente?
Não! No coração vocês tramam a injustiça, e na terra as suas mãos espalham a violência.
Os ímpios erram o caminho desde o ventre; desviam-se os mentirosos desde que nascem.
Seu veneno é como veneno de serpente; tapam os ouvidos, como a cobra que se faz de surda
para não ouvir a música dos encantadores, que fazem encantamentos com tanta habilidade.
Quebra os dentes deles, ó Deus; arranca, Senhor, as presas desses leões!
Desapareçam como a água que escorre! Quando empunharem o arco, caiam sem força as suas flechas!
Sejam como a lesma que se derrete pelo caminho; como feto abortado, não vejam eles o sol!
Os ímpios serão varridos antes que as suas panelas sintam o calor da lenha, esteja ela verde ou seca.
Os justos se alegrarão quando forem vingados, quando banharem seus pés no sangue dos ímpios.
Então os homens comentarão: “De fato os justos têm a sua recompensa; com certeza há um Deus que faz justiça na terra”.

1º Passo: Vamos orar? Hoje é um novo dia e há uma certeza: Deus renovou sua misericórdia para conosco e a esperança de que neste dia o Senhor cuida de nós. Não sabemos o que está reservado para nós, porém sabemos que o Senhor estará conosco. Uma seus Motivos de gratidão aos seus Motivos de súplica e derrame-se diante do Pai. Que que este momento de Leitura e Oração seja para Conhecer mais de Deus pelas Escrituras, Confiar mais em Deus e Conviver mais profundamente com Deus. Suplique pela iluminação do Espírito Santo sobre a leitura do Salmo 58.

2º Passo: Leia pausadamente todo o Salmo 58. É um Salmo de Imprecação, assim como os Salmos 57, 59 e 75, sendo este especificamente contra as ações injustas de homens maus. A linguagem é forte, com os primeiros dois versos denunciando que a injustiça nasce de um coração ímpio e descamba para atos de violência, pela maldade que estimulam ou pela revolta que provocam, descritas como “veneno” e “surdez”. Há um forte apelo para que Deus vingue os que são colhidos pela injustiça e maldade alheia, com uma linguagem metafórica pela palavra repetida “como… a água que escorre… a lesma que se derrete… feto abortado”, num contraste entre um poder absoluto diante de algo que não lhe pode resistir. O Salmo 58 encerra com uma certeza: de que a justiça divina prevalecerá e será possível alegrar-se em “um Deus que faz justiça na terra”.

3º Passo: Vamos orar novamente? Ao mesmo tempo que você tenta recordar de modo geral este Salmo, que o Espírito Santo conduza seus pensamentos e palavras de oração para aquilo que mais motive seu louvor, adoração e gratidão ao Rei dos reis, apesar da linguagem forte.

4º Passo: Leia pausadamente todo o Salmo 58 novamente. Apesar de soar “primitivo” aos ouvidos sensíveis dos dias atuais, a injustiça é uma afronta ao caráter de Deus, que se indigna com os maus, assim como nós deveríamos também, sem amargar a alma, nos indignar. Certamente o Espírito Santo vai leva-lo a algumas das palavras e expressões que mais lhe chamaram a atenção, e que são especificamente o que Deus quer que fique fixado em sua mente. Se preferir, sublinhe, anote ou marque de alguma forma aquilo que mais lhe chama a atenção. Porém, não esqueça da tarefa importante: o que o Salmista queria mesmo dizer, se você pudesse resumir em uma ou duas frases. Certamente, este Salmo facilita que o nosso olhar seja levado a Cristo, como Aquele que julgará a humanidade, embora também seja o Advogado daqueles que nele creem. Então, como as verdades deste Salmo 58, quando falam de Deus, reforçam a nossa confiança na pessoa e obra de Cristo em seu favor? Ao mesmo tempo, como este Salmo 58 estimula você a responder ao Senhor com uma vida pautada pela justiça e santidade de Deus? Do que você precisa se livrar que lhe atrapalha e o que você precisa adotar como prática espiritual para lhe conduzir ao desejado pelo Senhor para sua vida.

5º Passo: Vamos orar este Salmo 58? Como você reescreveria em oração, mesmo que resumindo bastante, este Salmo 18 em suas próprias palavras? Eu oro assim:

“Deus Santo e Reto Juiz, tua é a glória, honra e majestade!
Não outro deus, além de ti, e ninguém é comparável a ti, Senhor Eterno.
Tu és perfeito e perfeitamente justo em todos os teus retos caminhos.
Em ti há perfeita justiça e puros são os teus juízos.
Por isso, clama a ti a injustiça dos ímpios sobre aqueles que te temem.
Não há como seres indiferente, tu que és o único completamente justo.
Ouve o clamor dos que vivem debaixo da maldade dos poderosos
E escuta a oração daqueles que não tem mais com quem contar.
São tantas as impiedades e crueldades que contemplamos a cada dia
Que o nosso coração desmaia e se pergunta: onde está a justiça divina?
Só tu julgas com retidão perfeita e a ti entregamos as causas complexas demais para o nosso entendimento.
Vem, Senhor, julga em favor da santidade e da justiça, como não poderias deixar de fazer.
Que proporcionalmente ao mal feito venha a justiça imposta por tuas mãos firmes e teu braço forte.
A nossa alegria é ver que há Deus justo na terra, cujo juízo é de eternidade a eternidade.”

Deus o abençoe e até segunda-feira com o Salmo 59.

Postar um comentário