Nenhum comentário

Orando as Escrituras – Salmo 104 (NVI – Nova Versão Internacional)

Bendiga ao Senhor a minha alma! Ó Senhor, meu Deus, tu és tão grandioso! Estás vestido de majestade e esplendor!
Envolto de luz como numa veste, ele estende os céus como uma tenda,
e põe sobre as águas dos céus as vigas dos seus aposentos. Faz das nuvens a sua carruagem e cavalga nas asas do vento.
Faz dos ventos seus mensageiros e dos clarões reluzentes seus servos.
Ele firmou a terra sobre os seus fundamentos para que jamais se abale;
com as torrentes do abismo a cobriste, como se fossem uma veste; as águas subiram acima dos montes.
Diante das tuas ameaças as águas fugiram, puseram-se em fuga ao som do teu trovão;
subiram pelos montes e escorreram pelos vales, para os lugares que tu lhes designaste.
Estabeleceste um limite que não podem ultrapassar; jamais tornarão a cobrir a terra.
Fazes jorrar as nascentes nos vales e correrem as águas entre os montes;
delas bebem todos os animais selvagens, e os jumentos selvagens saciam a sua sede.
As aves do céu fazem ninho junto às águas e entre os galhos põem-se a cantar.
Dos seus aposentos celestes ele rega os montes; sacia-se a terra com o fruto das tuas obras!
É ele que faz crescer o pasto para o gado, e as plantas que o homem cultiva, para da terra tirar o alimento:
o vinho, que alegra o coração do homem; o azeite, que faz brilhar o rosto, e o pão que sustenta o seu vigor.
As árvores do Senhor são bem regadas, os cedros do Líbano que ele plantou;
nelas os pássaros fazem ninho, e nos pinheiros a cegonha tem o seu lar.
Os montes elevados pertencem aos bodes selvagens, e os penhascos são um refúgio para os coelhos.
Ele fez a lua para marcar estações; o sol sabe quando deve se pôr.
Trazes trevas, e cai a noite, quando os animais da floresta vagueiam.
Os leões rugem à procura da presa, buscando de Deus o alimento,
mas ao nascer do sol eles se vão e voltam a deitar-se em suas tocas.
Então o homem sai para o seu trabalho, para o seu labor até o entardecer.
Quantas são as tuas obras, Senhor! Fizeste todas elas com sabedoria! A terra está cheia de seres que criaste.
Eis o mar, imenso e vasto. Nele vivem inúmeras criaturas, seres vivos, pequenos e grandes.
Nele passam os navios, e também o Leviatã, que formaste para com ele brincar.
Todos eles esperam em ti para que lhes dês o alimento no tempo certo;
tu lhes dás, e eles o recolhem, abres a tua mão, e saciam-se de coisas boas.
Quando escondes o rosto, entram em pânico; quando lhes retiras o fôlego, morrem e voltam ao pó.
Quando sopras o teu fôlego, eles são criados, e renovas a face da terra.
Perdure para sempre a glória do Senhor! Alegre-se o Senhor em seus feitos!
Ele olha para a terra, e ela treme, toca os montes, e eles fumegam.
Cantarei ao Senhor toda a minha vida; louvarei ao meu Deus enquanto eu viver.
Seja-lhe agradável a minha meditação, pois no Senhor tenho alegria.
Sejam os pecadores eliminados da terra e deixem de existir os ímpios. Bendiga ao Senhor a minha alma! Aleluia!

1o Passo: Vamos orar? Que a nossa meditação no Senhor seja agradável ao nosso Deus, pois nele temos prazer! Que maravilha, não é? Alegria em Deus! Não há nada mais importante hoje do que voltar-se ao Criador e refletir embevecido em todo o seu ser, em sua majestade e em suas gloriosas obras. Então, aproveite e tenha o seu tempo de contemplação e oração ao Senhor. Ore a Deus para o Espírito Santo ilumine sua mente e este também seja um tempo de Conhecer mais de Deus pelas Escrituras, Confiar mais firmemente em Deus por meio de Cristo e Conviver mais profundamente com Deus.

2o Passo: Leia pausadamente todo o Salmo 104.
Este Salmo de Sabedoria e de Louvor ao Criador é o mais longo Salmo de Criação (Salmos 8, 19, 33 e 145 tem a mesma característica). É como uma recriação poética de Genesis 1, que Jó 38 a 41 também registra como uma alegre comemoração do mundo criador por Deus. O objetivo do Salmista é claramante celebrar a glória de Deus em suas obras de criação e providência, ensinando a dependência de todos os seres vivos do seu Criador e no final contrastando ímpios e justos pela maneira como reconhecem ou não a glória de Deus na criação. Em termos de estrutura é possível ver o paralelo com os dias da criação em Genesis 1, da seguinte maneira Dia 1: versículo 2a, Dia 2: versículos 2b–4,Dia 3: versículos 5–9, Dia 4: versículos 14–16, Dia 5: versículos 17,25,26 e Dia 6: versículos 18,23. O versículo 30 é o ápice da referência do Salmista ao poder criativo do Espírito de Deus, seguido por um cântico de louvor, exaltando o Deus da criação.

3o Passo: Vamos orar novamente?
Agora é a hora de “se colocar” em oração à luz do que foi lido. Que nesta conversa com Deus, o Espírito Santo lhe leve ao Salmo 104 e você ali se veja deslumbrado com a Criação divina. Ore.

4o Passo: Leia pausadamente todo o Salmo 104 novamente. O que mais lhe chamou a atenção? Mais importante: se você fosse contar a alguém sobre o Salmo 104, qual seria a lição ou verdade central sobre este Salmo 104? Como você o resumiria em uma frase? Teria algo a ver com a criação e a providência de Deus? Você vê alguma relação com Cristo neste Salmo 104, quando lembra de João 1:1-3? Como as verdades deste Salmo 104 levam você a confiar mais na pessoa e obra de Cristo em seu favor, visto que Ele cria e sustém todo o universo? Como este Salmo 104 denuncia e corrige as tendências carnais da sua natureza pecaminosa, que não nos permite contemplar as obras do Senhor e confiar em seu poderoso cuidado? O que este Salmo 104 incentiva que você passe a fazer como hábitos para seu crescimento espiritual? Contemplar mais? Meditar mais nas obras de Deus? Celebrar mais…?

5o Passo: Vamos orar este Salmo 104?
Pode ser mais ou menos assim: “

“Ao Deus Criador do Universo, a minha homenagem em forma de louvor,
Tu, Criador e Mantenedor da vida, cuja palavra gerou tudo que existe.
A Glória, a Honra e o Louvor são teus, pelos teus poder manifesto em todos os cantos da criação!
A minha alma se embevece ao contemplar as obras de tuas mãos, porque és o Altíssimo Todo Poderoso.
Do Trono da tua Majestade saem raios de teu esplendor mais fulgurantes do que o sol e as estrelas todas.
E por tua palavra criaste as águas profundas e silentes, e os ribeiros cheios de sons e vida, os ventos procelosos que te obedecem e a terra com seus vales e montanhas que quebram a monotonia do horizonte.
Ah, meu Senhor! Como é diversa a tua criação e belas as cores e sons que retiras de cada ser.
Tuas pequeninas criaturas que gorjeiam nos galhos, e as outras que singram os ares majestosamente são os extremos da tua sabedoria em criar grandes e pequenos todos para te louvar.
Não é de outras mãos senão as tuas que a terra é regada para que o homem cultive o pão, o vinho e o azeite, assim como tudo que um dia foi jardim onde puseste nossos pais.
Os pequenos e frágeis animas e aqueles cuja força e tamanho em muito superam ao homem demonstram a força da tua destra e a delicadeza do teu cuidado.
Que magníficas são as tuas obras, ó Senhor, revestidas de sabedoria e glória.
Minha alma vai se enchendo de alegria, enquanto meus olhos contemplam o que teus dedos fizeram e tua mão provedora mantém e governa.
Que do meu interior brotem sempre a alegria e a gratidão, e meus lábios e coração louvem sempre ao meu Criador até o último suspiro de vida que Ele me conceder.
E que meus pensamentos sejam povoados de imagens e memórias, sons e verdades, enquanto medito em ti e em tudo que fizeste para trazer todas as coisas à existência e nela infundir vida.
Aleluia!”

Deus o abençoe e até amanhã com o Salmo 105.

Postar um comentário